Pin It

Grafite, grafito ou graffiti? A arte urbana. Não ignore! Sabe por quê?

Grafite

 Quando garoto, eu me amarrava muito naquelas pinturas que os norte-americanos faziam nas paredes, acompanhado com um bom Hip Hop. E como eu sabia desenhar, tentava copiar os desenhos num caderno… pedaço de papel ou o que eu encontrasse pela frente. Pois aquilo me passava uma maneira diferente de enxergar a vida. Tudo que estava em volta.

O grafite

Hoje, olhando de uma maneira mais apurada, consegui entender o que cada figura expressa. E não aquele sonho de garoto, que as pinturas nas paredes, eram somente para grifar o quanto era legal. Questão de estética. É por aí! (Risos).

De fato, podemos considerar uma forma harmoniosa, que o grafite se apresenta. Desde quando, saibamos o seu princípio e o seu recado. A sua expressão perante a sociedade.

E antes de mais nada, estou falando de grafite e não pichação. – Ah Marcos! Por que você fala isso? – Vamos entender:

O grafite tem no seu conceito, uma forma de manifestação artística, num espaço público, ou seja, ele é desempenhado como uma qualidade artística e está ligado diretamente a vários movimentos. E como disse antes, o hip hop é o movimento “carro chefe” dessa arte. Mas tem Rap, Break, etc. Então significa também, que ele está dentro do âmbito da arte visual. Comemorado sempre, no dia 27 de março.

Voltando mais algumas décadas, a partir de 1970, os jovens norte-americanos, inicialmente em Nova York – EUA, faziam as chamadas “inscrições nas paredes” deixando suas marcas. E naquele momento, podia-se expressar estética, poder, vida submissa ao poder público ou pura diversão. Era uma forma de falar com quem fazia ou maquiava os seus deveres, conforme foi prometido a sociedade.

Com um certo tempo, essas inscrições foram ficando mais elaboradas com novas técnicas e desenhos, cada vez mais expressivos. Nascia nesse momento o nome grafite, onde o Hip Hop impulsionava mais o aperfeiçoamento da arte. De que forma? A música e arte, sempre conviveram em plena harmonia. Eu mesmo, adoro desenhar ouvindo uma música. Isso me deixa mais empolgado. E creio que por esse motivo, o desenho fica legal. (Risos).

Porém como tudo vem de milhares de anos atrás, com o grafite não foi diferente. Ele deve as pinturas rupestres deixadas pelo homem através do Resultado de imagem para grafite dos anos 70tempo. Pois foram os primeiros exemplos de “grafite”, encontradas da na história artística. – E por que? – Porque têm expressões, linguagem simbólica própria, uma comunicação enigmática, que até hoje, intriga muitos arqueólogos. Entendeu a analogia entre as duas artes?

Já no final da década de 1970, o grafite chegou ao Brasil, no estado de São Paulo precisamente. Assim ganhou um toque de charme e estilo, com mais cores e novas técnicas, usadas por muitos no mundo. Mais para frente eu te digo.

Por muito tempo, o grafite veio sendo uma contravenção aos olhos da sociedade, em síntese. Pois ele não era bem visto e sim considerado como uma poluição visual. Um vandalismo. O que infligia os grafiteiros com punições, desde quando o seu objetivo era harmonizar a sociedade e não pichação. Diferença essa, que lhe explico de modo resumido:
A pichação, são amiúdes caracterizados por aqueles que escrevem ou rabiscam em muros, fachadas de edifícios, monumentos, vias públicas, entre outros, dando a impressão de poluição e vandalismo ao local. A cidade.

Já o grafite, é produzido com qualidade artística. A sua pintura é elaborada com mais complexidade em cores, técnicas e desenho expressivo, contendo informações importantes através da pintura. E se tem semelhança entre os dois, somente o spray. (Risos) Veja isso:



As ideias expressadas pelos grafiteiros, retratam a vida na sociedade, a opressão que a humanidade vive. E os menos favorecidos, são os que relatam a realidade das ruas. Com o látex, tinta em spray, eles tocam a vida através da arte.

Dentre muitos de grafiteiros, destaco-lhe cinco que eu admiro o trabalho e são estrelas no grafite, como:


Aryz – Espanhol, de Barcelona,  conhecido por fazer pinturas de grande escala em muros ou fachadas de edifícios, sempre com estranhos personagens. Site: (http://www.aryz.es/).

Resultado de imagem para Aryz


Belin – Como o próprio nome já lembra, Miguel Angel BelinGhón, alemão, trabalha com uma mistura de realismo, caricatura e surrealismo. As características de seu estilo estão na qualidade fotográfica de seus personagens em 3D e na expressão dos rostos. Site: (http://belin.es/).

Resultado de imagem para belin


Eric Grohe – Esse norte-americano é mestre na arte de ilusão de ótica.  Ele transforma paredes lisas e comuns em verdadeiras obras de arte e da ilusão de ótica, capazes de até pegar os distraídos de surpresa. O artista utiliza tinta com minerais, para garantir sua permanência e eficácia e também uma técnica chamada trompe l’oeil para criar murais em três dimensões incríveis. Site: (http://www.ericgrohemurals.com/projects.html).

Resultado de imagem para eric grohe


Kurt Wenner – Esse norte-americano é fera. Ele ficou conhecido pelas composições que parecem ter caído no chão. O uso da perspectiva, desenhos tridimensionais e a transformação do classicismo em arte urbana 3D o fizeram pioneiro desta técnica. Site: (http://kurtwenner.com/).

Resultado de imagem para kurt wenner


Eduardo Kobra – Não é puxando saco. Mas para mim esse é monstro no grafite e você verá o porquê.

Kobra é um artista brasileiro. Começou sua carreira como pichador, o que muitos dos melhores, revelaram que começaram assim também, diga-se de passagem, depois se tornou grafiteiro e hoje considera-se um “muralista”. Também cria obras que simulam as dimensões. Dono de diversas obras, onde uma das mais importes, recentemente, foi o “Povos nativos dos 5 continentes” na Praça Mauá – Rio de Janeiro, onde ele retratou o espírito olímpico em 2016. Site: (http://eduardokobra.com/).

Imagem relacionada

E o mais legal no seu grafite, foi o que ele fez. Veja:



Além disso, o grafite hoje é utilizado para recuperar cidades, casarões, prédios abandonados, dando uma nova cara. Um novo estilo. E falando nisso, como prometi dizer aqui, o estilo de grafite brasileiro é reconhecido como um dos melhores do mundo. Muitos estão expondo os seus trabalhos em diversas galerias de artes. Já viu a responsabilidade? Muito legal isso.

Entender essa arte ainda é complicado, para quem não quer entender o foco principal dela. A socialização para todos. Assim vão ainda hoje, infelizmente, achando um meio de ofuscar as vistas com o preconceito, como fosse um dia de chuva. Mas espero que agora, as coisas fiquem mais claras, com essa nova visão dos grafiteiros. Pois eles não fazem rabiscos por aí. Então não devemos ignorar essa arte. Valeu!?

Espero que tenha gostado do post. Curta, compartilhe para seus amigos, chame eles para o blog. Tem muitos assuntos legais. Comente, pois é muito importante para todos que leem o post. E desculpa se não falei o seu grafiteiro preferido. Mas conte sobre ele. Ok!? Um grande abraço. Sempre!

Gostou!? Então recomendo esses. Veja:

The following two tabs change content below.
Oriundo de Salvador-Ba. Amante da arte, tecnologia e design. Autor do Blog 3Dmalz.com e do canal 3dmalz no Youtube, onde compartilha e aprende muito com os visitantes, amigos e seguidores. "Nada é impossível desde quando você tente mudar e persevere". Essa é a sua humilde frase que usa de inspiração para atingir seus objetivos.

One thought on “Grafite, grafito ou graffiti? A arte urbana. Não ignore! Sabe por quê?”

  1. http://ameblo.jp says:

    Hello there, You have done an excellent job. I’ll certainly digg
    it and personally suggest to my friends. I am confident they will be benefited from this site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mude o Idioma »